sábado, outubro 29, 2011

É carente e gosta de atenção discreta.

Tem nojo de pombo, medo de palhaço, odeia pé, tem os dedinhos dos pés bem feiinhos. Não é alta, não é magra, nem sinônimo de beleza. É bem ciumenta, paranoica, não admite que é ciumenta, mas deixa bem claro que é paranoica. É hipocondríaca também. É carente e gosta de atenção discreta. Fica feliz com gestos pequenos. Acha que sabe alguma coisa da vida, mas sabe que no fim não sabe porra nenhuma. Finge que aguenta as pontas, mas só ela e Deus sabem o tanto de lágrimas que já derramou. Todo dia imagina outra coisa do resto do dia, mas ele sempre termina igual. Parou de esperar qualquer coisa que fosse de qualquer um. Até dela mesma. Tá vivendo meio dia de cada vez. Tá descobrindo aos pouquinhos o que a vida quer com ela e ela com a vida. Tem medo de despedidas. E imagina milhares de tipos de acidentes que podem acontecer se ela não falar "pai, põe o cinto". Depois fica louca por causa dos acidentes que imaginou e chora feito criança imaginando a perda. Já sonhou com perdas e sabe que a dor real vai ser pior que a do sonho, e por isso tem medo. Antes de dormir imagina situações que a deixaria mal e já deixa as falas prontas pra quando acontecer, mas se acontece trava e não fala nada. Tá sobrevivendo e acha que tá vivendo. Mas uma hora ela acorda.

4 comentários:

Nanny Patty* disse...

Belo texto Bia. (:

Gabriela Freitas disse...

Desperte-a Bia, está na hora de viver, mas viver de verdade.

Mila disse...

Uma hora ela acorda, mas precisa? Vai vivendo.

Mariana sousa disse...

É bem alta perto de mim , tem uuma putá de umas perna bem bonitas, e é muito linda a verdadeira você *-*